Lesão da Medula Espinhal (LME) / Terapia de Células-Tronco

Encontre o melhor tratamento de células-tronco para Lesão da Medula Espinhal (LME)

A Unique Access fornece acesso a um extenso protocolo de tratamento para Lesão da Medula Espinhal (LME) que utiliza altas quantidades de células-tronco, extensiva reabilitação e diversas terapias de suporte. Esta combinação eficaz da mais avançada tecnologia médica com sistemática terapia física e ocupacional têm ajudado nossos pacientes já tratados a alcançar significativas melhorias em suas paralisias.

Por que as Células-Tronco funcionam para Lesão da Medula Espinhal (LME)?

O trauma mecânico na medula espinhal muitas vezes resulta em danos irreversíveis. Quando os axónios no sistema nervoso central são lesionados, eles mostram uma fraca resposta regenerativa e a paralisia completa ou parcial geralmente é o destino final.

O tratamento atual para Lesão Medular é limitado à administração de elevadas doses de esteróides para previnir o edema medular e reduzir a resposta inflamatória secundária, mas com pouca eficácia. No entanto, uma extensa pesquisa tem sido feito nos últimos dez anos para estudar e estabelecer a eficácia do tratamento de células-tronco no tratamento de lesões da medula espinhal.

As células-tronco mesenquimais (CTMs) surgiram como os líderes devido à sua comprovada segurança, capacidade de regular a reação do sistema imunológico para a lesão, e de se diferenciar em diferentes tipos de células, incluindo neurônios e astrócitos. Elas têm sido utilizados no tratamento clínico de pacientes com LME desde 2005.

Melhorias

Estudos recentes realizados por diferentes cientistas levam à conclusão de que os resultados do transplante de células tronco provoca uma recuperação funcional da Lesão da Medula Espinhal (LME).

A maioria dos pacientes de lesão da medula espinhal (LME) tratados com a combinação de células-tronco e terapias de suporte, incluindo a reabilitação, alcançaram melhorias nas seguintes áreas:

  • melhoria da sensação
  • melhoria na função motora
  • melhoria da massa muscular e força
  • melhor equilíbrio e coordenação
  • controle do intestino e da bexiga
  • melhoria na dor neuropática
  • melhora da função sexual
  • aumento da capacidade de suor
  • reduziu espasticidade e mais

Estimulação Epidural é o mais recente e inovador tratamento para sobreviventes de Lesão Medular

O Unique Access Medical orgulhosamente fornece acesso a um tratamento inovador para pacientes paralisados. A inovadora cirurgia para implante do dispositivo, células-tronco de altíssima qualidade, reabilitação extensiva e muitas terapias de suporte tornam esta a melhor opção de tratamento disponível atualmente.

A tratamentoscelulastronco.com em parceria com o Unique Access Medical está orgulhosamente fornecendo acesso a um inovador tratamento para pacientes paralisados. Nunca antes os pacientes com Lesão da Medula Espinhal tiveram uma melhor chance de recuperar os movimentos voluntários das pernas, ficar em pé ou mesmo andar novamente. É um trabalho duro, mas finalmente há esperanças reais!

 

O inovador pacote de tratamento inclui a implantação cirúrgica de um dispositivo que envia correntes elétricas para a parte inferior da medula espinhal. Ele funciona basicamente como um amplificador para ajudar os sinais a passarem através da lesão. Os comandos e sinais enviados pelo cérebro alcançam novamente as áreas e membros abaixo da lesão.

Desenvolvido pela mundialmente famosa Fundação Christopher & Dana Reeve, o Unique Access Medical elevou este método a um novo patamar através da introdução de potentes células-tronco e outras terapias de suporte.

Mecanismos

A substituição dos neurônios danificados, perdidos ou doentes pode ser feita através do transplante de células tronco.

Ele também tem outras funções substantivas através de efeitos parácrinos, incluindo a entrega de moléculas, tais como fatores prosurvivais, fatores angiogênicos, fatores de crescimento, fatores de direção de células-tronco, e citocinas, que executam o seguinte:
(1) a modulação da resposta imunitária;
(2) a indução da degradação enzimática para reduzir a inflamação, cicatrização e a eliminação de detritos celulares;
(3) a limitação da lesão secundária, protegendo neurônios;
(4) promover a regeneração de células-tronco endógenas;
(5) angiogênese, com mais suprimento de sangue, necessário para a recuperação ideal;
(6) melhoria na cicatrização de feridas;
(7) proporcionar um ‘relevo’ à base de células elétricas entre os neurônios acima e abaixo da lesão; para eventualmente melhorar a deterioração clínica.

Nossa Promessa

Acreditamos que sempre há uma esperança real e que os pacientes merecem ter acesso a um tratamento eficaz e seguro. Somos independentes, com um departamento médico interno. Combinamos o serviço de hospitais internacionalmente reconhecidos com tratamentos de última geração, produtos únicos e serviços que são integradores e eficazes para assegurar que o tratamento tenha o melhor resultado possível.

Células Tronco

Sobre as Células Tronco que utilizamos, garantimos que o paciente receba a célula tronco correta e necessária no que diz respeito a qualidade, quantidade e viabilidade. Nosso parceiro exclusivo de pesquisas garante uma viabilidade celular de 95%, sendo que muitas injeções chegam a supreendente viabilidade de 98%-99%.

Terapias de Apoio & Remédios

Garantimos que o paciente receba os medicamentos, terapias de apoio, reabilitação, desintoxicação e programas de aumento do sistema imunológico necessários para tirar o maior proveiro das células-tronco.

  • Oxigenoterapia hiperbárica (OTH)
  • Acupuntura
  • Terapia Aquática
  • Tratamento de Fisioterapia
  • Terapia Ocupacional
  • Estimulação Magnética Transcraniana (EMT)
  • Tratamento de Oxigenação
  • Gotas de Vitamina por Injeção Intravenosa
  • Suplementos que Aumentam o Sistema Imunológico (ex. GcMAF)
  • Planos de Dieta Especializados & Consultas

Hospital Associado

O tratamento será realizado em um hospital terceirizado reconhecido internacionalmente, e não em um hotel ou uma clínica. Isto é importante para a segurança e cuidado do paciente, já que o paciente terá acesso a todos os departamentos especializados e a todos os médicos especialistas, o que aumentará a eficácia de tratamento.

Os melhores tratamentos com células-tronco disponíveis via tratamentoscelulastronco.com

O que é Lesão da Medula Espinhal (LME)?

A medula espinhal atua como o relê principal de sinais entre o cérebro e o corpo inferior.

Lesão da Medula Espinhal (LME) é mais comumente causada por forte traumatismo, tal como de esportes ou acidentes de trânsito, e que a maioria dos indivíduos afetados são jovens adultos. nas informações sobre Lesão da Medula Espinhal (LME), 300.000 pessoas sofrem de lesão medular nos Estados Unidos, enquanto anualmente, foi reportado que há cerca de 11.000 novos casos.

Embora a expectativa de vida é quase normal em pacientes crônicos com Lesão da Medula Espinhal (LME), isso muitas vezes resulta em déficits prolongados, acompanhado de paralisia parcial ou completa e perda da sensibilidade e controle do sistema nervoso autônomo abaixo do nível da lesão. O dano primário é o primeiro a determinar o resultado e mais tarde por isquemia, anoxia, formação de radicais livres e excitotoxicidade que ocorrem após a lesão, que são processos secundários.

References

  • Sabapathy, V.; Tharion, G.; Kumar, S. (2015).

“Cell Therapy Augments Functional Recovery Subsequent to Spinal Cord Injury under Experimental Conditions”. Stem Cells International. 2015: 132172. doi: 10.1155/2015/132172. PMID 26240569.

  • Yu, W.Y.; He, D.W. (2015).

“Current trends in spinal cord injury repair” – (PDF). European Review for Medical and Pharmacological Sciences. 19 (18): 3340–44. PMID 26439026.

  • Office of Communications and Public Liaison, National Institute of Neurological Disorders and Stroke, eds. (2013).

Spinal Cord Injury: Hope Through Research. National Institutes of Health.

  • Ho, C.H.; Wuermser, L.A.; Priebe, M.M.; Chiodo, A.E.; Scelza, W.M.; Kirshblum, S.C. (2007).

“Spinal Cord Injury Medicine. 1. Epidemiology and Classification”. Archives of Physical Medicine and Rehabilitation. 88 (3): S49–54. doi: 10.1016/j.apmr.2006.12.001PMID 17321849.

  • Kabu, S.; Gao, Y.; Kwon, B.K.; Labhasetwar, V. (2015).

“Drug delivery, cell-based therapies, and tissue engineering approaches for spinal cord injury”. Journal of Controlled Release. 219: 141–54. doi: 10.1016/j.jconrel.2015.08.060. PMID 26343846.

  • Scivoletto, G.; Tamburella, F.; Laurenza, L.; Torre, M.; Molinari, M. (2014).

“Who is going to walk? A review of the factors influencing walking recovery after spinal cord injury”. Frontiers in Human Neuroscience. 8: 141. doi: 10.3389/fnhum.2014.00141. PMC 3952432. PMID 24659962.

  • New P.W., Cripps R.A., Bonne Lee B. (2014).

“Global maps of non-traumatic spinal cord injury epidemiology: Towards a living data repository”. Spinal Cord. 52 (2): 97–109. doi: 10.1038/sc.2012.165. PMID 23318556.

  • Van Den Berg, M.E.L.; Castellote, J.M.; De Pedro-Cuesta, J.; Mahillo-Fernandez, I. (2010).

“Survival after Spinal Cord Injury: A Systematic Review”. Journal of Neurotrauma. 27 (8): 1517–28. doi: 10.1089/neu.2009.1138. PMID 20486810.

  • Dolbow, D.R.; Gorgey AS, Daniels JA, Adler RA, Moore JR, Gater DR Jr. (2011).

“The effects of spinal cord injury and exercise on bone mass: a literature review”. NeuroRehabiliation. 29 (3): 261–9. doi: 10.3233/NRE-2011-0702. PMID 22142760.