Lesão Cerebral Traumática (LCT) / Terapia de Células-Tronco

Encontre o melhor tratamento de células-tronco para lesão cerebral traumática (LCT)

A Unique Access fornece acesso a um extenso protocolo de tratamento para Lesão Cerebral Traumática que utiliza altas quantidades de células-tronco, extensiva reabilitação e diversas terapias de suporte. Esta combinação eficaz da mais avançada tecnologia médica com sistemática terapia física e ocupacional têm ajudado nossos pacientes já tratados a alcançar uma grande variedade de melhorias importantes.

Por que as Células-Tronco funcionam para Lesão Cerebral Traumática (LCT)?

As características mais prevalentes e debilitantes em sobreviventes de trauma cerebral são déficits cognitivos e disfunções motoras. Até hoje, não existe um tratamento eficaz para promover a recuperação funcional, exceto a intervenção médica e cuidados de rotina.

Felizmente, estão surgindo promissoras abordagens terapêuticas baseados em medicamentos ou células, incluindo eritropoietina carbamilada e sua forma, as estatinas, e o tratamento de Células-Tronco

Novos métodos de tratamento ajudam a reduzir a lesão cerebral através de neuroproteção e promovem a remodelação do cérebro através de angiogênese, neurogênese e sinaptogênese, com o objetivo final de melhorar os resultados funcionais dos pacientes com lesão cerebral traumática (LCT).

Melhorias

A maioria dos pacientes tratados apresentaram seqüelas de lesão cerebral traumática (LCT) variando de forma leve a grave. Unique Access fornece acesso a um extenso protocolo de tratamento utilizando uma combinação de células-tronco mesenquimais (CTM) extensa reabilitação e terapias de suporte, e viram grandes resultados do tratamento.

Pacientes com lesão cerebral traumática (LCT) tratados com células-tronco geralmente observam melhorias nas seguintes áreas:

  • função motora
  • tônus muscular e força
  • cognição e memória
  • fala e deglutição
  • equilíbrio e coordenação
  • habilidades motoras finas
  • habilidades motoras e muito mais

Mecanismos

O tratamento com células tronco para lesão cerebral traumática (LCT) incidirá sobre a lesão cerebral secundária, que é o resultado de eventos bioquímicos e fisiológicos que causaram a morte celular neuronal.

Pesquisas recentes indicaram que o potencial benefício terapêutico da terapia de células-tronco pode ser o resultado dos seguintes mecanismos:

1. Fatores de crescimento secretam para promover resultado funcional após uma lesão cerebral através de neurogênese e
sinaptogênese;
2. Produzir e induzir muitas citocinas e fatores tróficos para melhorar a angiogênese e estabilização vascular na zona fronteiriça da lesão;
3. Diminuir a formação de cicatriz glial e promover a remodelação glial-axonal;
4. Diferenciar-se em células de origem neuronal, incluindo neurônios, astrócitos e células gliais.

Assim, as células-tronco agem de uma maneira pleiotrópica para estimular a remodelação do cérebro após uma lesão cerebral ao influenciar várias funções neurais restaurativas, como sinaptogênese, angiogênese e neurogênese.

Nossa Promessa

Acreditamos que sempre há uma esperança real e que os pacientes merecem ter acesso a um tratamento eficaz e seguro. Somos independentes, com um departamento médico interno. Combinamos o serviço de hospitais internacionalmente reconhecidos com tratamentos de última geração, produtos únicos e serviços que são integradores e eficazes para assegurar que o tratamento tenha o melhor resultado possível.

Células Tronco

Sobre as Células Tronco que utilizamos, garantimos que o paciente receba a célula tronco correta e necessária no que diz respeito a qualidade, quantidade e viabilidade. Nosso parceiro exclusivo de pesquisas garante uma viabilidade celular de 95%, sendo que muitas injeções chegam a supreendente viabilidade de 98%-99%.

Terapias de Apoio & Remédios

Garantimos que o paciente receba os medicamentos, terapias de apoio, reabilitação, desintoxicação e programas de aumento do sistema imunológico necessários para tirar o maior proveiro das células-tronco.

  • Oxigenoterapia hiperbárica (OTH)
  • Acupuntura
  • Terapia Aquática
  • Tratamento de Fisioterapia
  • Terapia Ocupacional
  • Estimulação Magnética Transcraniana (EMT)
  • Tratamento de Oxigenação
  • Gotas de Vitamina por Injeção Intravenosa
  • Suplementos que Aumentam o Sistema Imunológico (ex. GcMAF)
  • Planos de Dieta Especializados & Consultas

Hospital Associado

O tratamento será realizado em um hospital terceirizado reconhecido internacionalmente, e não em um hotel ou uma clínica. Isto é importante para a segurança e cuidado do paciente, já que o paciente terá acesso a todos os departamentos especializados e a todos os médicos especialistas, o que aumentará a eficácia de tratamento.

Os melhores tratamentos com células-tronco disponíveis via tratamentoscelulastronco.com

O que é Lesão Cerebral Traumática?

Lesão Cerebral Traumática (LCT) é um termo geral que se refere a muitos tipos diferentes de lesões que incluem, entre outros, traumatismos cranianos, infecções cerebrais e lesões cerebrais hipóxico-isquêmica.

Lesão Cerebral Traumática (LCT) é uma lesão cerebral que resulta na interrupção ou perda de algumas de suas funções. Apenas nos EUA, cerca de 2 milhões de casos de lesão cerebral traumática (LCT)  leve a moderada não são notificados anualmente, com 1,7 milhões de pessoas que estão sendo admitidas em hospitais e resultando em 50.000 mortes por ano. Geralmente, acidentes automobilísticos, quedas, assaltos/golpes, lesões relacionadas com o esporte e explosivos são causas comuns de lesão cerebral traumática (LCT). Clinicamente, a lesão cerebral traumática (LCT) abrange a lesão cerebral primária e a lesão cerebral secundária. O dano primário causado pelas forças mecânicas exercidas sobre o cérebro e o crânio no momento do impacto, levando a padrões de lesão cerebral focal ou difusa.

Em contraste com a lesão primária, lesões cerebrais secundárias evoluem ao longo do tempo. Estas são caracterizados por uma complexa cascata de eventos bioquímicos e moleculares que levam à neuroinflamação, edema cerebral e morte euronal retardada.

Os sintomas mais comuns de lesão cerebral traumática (LCT)

Após lesão cerebral traumática (LCT), as pessoas geralmente relatam sintomas nos dias, semanas e talvez meses seguintes à lesão, mas que melhoram com o tempo. Os sintomas mais comuns após lesão cerebral são conhecidos como síndrome pós-concussão (SPC).

queixas físicas

  • tontura
  • fadiga
  • dores de cabeça
  • distúrbios visuais
  • problemas para dormir
  • sensibilidade à luz e som
  • falta de equilíbrio

alterações cognitivas

  • baixa concentração
  • problemas de memória
  • mau julgamento e impulsividade
  • desempenho retardado
  • dificuldade em colocar pensamentos em palavras

preocupações psicossociais

  • depressão
  • explosões de raiva
  • irritabilidade
  • alterações de personalidade
  • ansiedade

Lesões cerebrais traumáticas (LCTs) mais graves resultam em prejuízo cognitivo significativo, perda da função motora, sensação prejudicada, aumento ou diminuição do tônus muscular, e pode envolver severa perda de visão.

References

  • Maas AI, Stocchetti N, Bullock R (August 2008).

“Moderate and severe traumatic brain injury in adults”. Lancet Neurology. 7 (8): 728–41. doi: 10.1016/S1474-4422(08)70164-9. PMID 18635021.

  • Parikh S, Koch M, Narayan RK (2007).

“Traumatic brain injury”. International Anesthesiology Clinics. 45 (3): 119–35. doi: 10.1097/AIA.0b013e318078cfe7. PMID 17622833.

  • Collins C, Dean J (2002).

“Acquired brain injury”. In Turner A, Foster M, Johnson SE. Occupational Therapy and Physical Dysfunction: Principles, Skills and Practice. Edinburgh: Churchill Livingstone. pp. 395–96.  ISBN 0-443-06224-2. Retrieved 2008-11-13.

  • Ghajar J (September 2000).

“Traumatic brain injury”. Lancet. 356 (9233): 923–29. doi: 10.1016/S0140-6736(00)02689-1. PMID 11036909.

  • Williams C, Wood RL (March 2010).

“Alexithymia and emotional empathy following traumatic brain injury”. J Clin Exp Neuropsychol. 32 (3): 259–67. doi: 10.1080/13803390902976940. PMID 19548166.

  • Milders, M.; Fuchs, S.; Crawford, J. R. (2003).

“Neuropsychological impairments and changes in emotional and social behaviour following severe traumatic brain injury”. Journal of Clinical & Experimental Neuropsychology. 25(2): 157–172. doi: 10.1076/jcen.25.2.157.13642.

  • Bay E, McLean SA (February 2007).

“Mild traumatic brain injury: An update for advanced practice nurses”. Journal of Neuroscience Nursing. 39 (1): 43–51. doi: 10.1097/01376517-200702000-00009. PMID 17396538.

  • Narayan RK, Michel ME, Ansell B, et al. (May 2002).

“Clinical trials in head injury”. Journal of Neurotrauma. 19 (5): 503–57. doi: 10.1089/089771502753754037. PMC 1462953. PMID 12042091.

  • Jones E, Fear NT, Wessely S (November 2007).

“Shell shock and mild traumatic brain injury: A historical review”. The American Journal of Psychiatry. 164 (11): 1641–5. doi: 10.1176/appi.ajp.2007.07071180. PMID 17974926.