Distrofia Muscular (DM) / Terapia de Células-Tronco

Encontre o melhor tratamento de células-tronco para Distrofia Muscular (DM)

A Unique Access fornece acesso a um extenso protocolo de tratamento para Distrofia Muscular que utiliza altas quantidades de células-tronco, extensiva reabilitação e diversas terapias de suporte. Esta combinação eficaz da mais avançada tecnologia médica com sistemática terapia física e ocupacional têm ajudado nossos pacientes já tratados a alcançar uma grande variedade de melhorias importantes.

Por que as Células-Tronco funcionam para Distrofia Muscular (DM)?

Diferentes tipos de células tronco, incluindo células tronco derivadas de medula óssea, células tronco mesenquimais do cordão umbilical (CTM), células tronco do cordão umbilical, vêm sim investigadas nos últimos anos como novas opções em ensaios clínicos com pacientes com distrofia muscular de Duchenne (DMD).

Mecanismos

Células-tronco mesenquimais (CTM) podem ajudar a aliviar os sintomas da doença através dos seguintes mecanismos, com base em suas características exclusivamente diferentes:

1. As células-tronco mesenquimais (CTM) podem conduzir a regeneração do músculo esquelético. O transplante de células-tronco mesenquimais (CTM) pode melhorar os sintomas clínicos do paciente por meio da correção do gene defeituoso e da regeneração celular do músculo

2. Células-tronco mesenquimais (CTMs) levam a um benefício terapêutico aparente em modelos de doenças através do seu efeito imunomodulador, que é outro mecanismo subjacente de células-tronco mesenquimais (CTMs) para o tratamento da distrofia muscular (DM).

3. As células-tronco mesenquimais (CTMs) possuem geração e expressão de distrofina potenciais  levando a aumento da força muscular em pacientes.

Melhorias

A maioria dos pacientes com distrofia muscular (CM) que a Unique Access ajudou a receber tratamentos inovadores, utilizando a combinação de células tronco mesenquimais do cordão umbilical (CTMCU) e terapias de apoio e reabilitação, mostrou melhorias notáveis incluindo o aumento da massa muscular e força, melhora da função motora, melhor equilíbrio e coordenação, diminuição da ocorrência de infecções respiratórias e complicações secundárias, mantida estabilização clínica, e alguns dos pacientes até mesmo andaram após o tratamento. Além disso, também houve uma significativa redução na progressão da doença após o tratamento com células-tronco.

Pacientes com Distrofia Muscular (DM) tratados com células-tronco geralmente observam melhorias nas seguintes áreas:

  • Aumento da massa muscular e força
  • função motora
  • Equilíbrio e coordenação
  • Desaceleração da progressão da doença

Nossa Promessa

Acreditamos que sempre há uma esperança real e que os pacientes merecem ter acesso a um tratamento eficaz e seguro. Somos independentes, com um departamento médico interno. Combinamos o serviço de hospitais internacionalmente reconhecidos com tratamentos de última geração, produtos únicos e serviços que são integradores e eficazes para assegurar que o tratamento tenha o melhor resultado possível.

Por que o tratamento de Células-Tronco é uma das melhores opções para os pacientes portadores de Distrofia Muscular?

Unique Access tem ajudado com sucesso pacientes a receber tratamentos inovadores com vários tipos de Distrofias Musculares (DM) utilizando uma combinação de células-tronco mesenquimais (CTM), aumento do sistema imunitário, dieta e reabilitação extensiva.

As células-tronco mesenquimais (CTMs) são conhecidas por se diferenciarem em vários tipos de células, incluindo fibras musculares e um maior sucesso relativo nos músculos afetados (através de transplantes intravenosos e intramusculares) faz com que a Distrofia Muscular (DM) seja um dos melhores candidatos de tratamento de células-tronco.

Células Tronco

Sobre as Células Tronco que utilizamos, garantimos que o paciente receba a célula tronco correta e necessária no que diz respeito a qualidade, quantidade e viabilidade. Nosso parceiro exclusivo de pesquisas garante uma viabilidade celular de 95%, sendo que muitas injeções chegam a supreendente viabilidade de 98%-99%.

Terapias de Apoio & Remédios

Garantimos que o paciente receba os medicamentos, terapias de apoio, reabilitação, desintoxicação e programas de aumento do sistema imunológico necessários para tirar o maior proveiro das células-tronco.

  • Oxigenoterapia hiperbárica (OTH)
  • Acupuntura
  • Terapia Aquática
  • Tratamento de Fisioterapia
  • Terapia Ocupacional
  • Estimulação Magnética Transcraniana (EMT)
  • Tratamento de Oxigenação
  • Gotas de Vitamina por Injeção Intravenosa
  • Suplementos que Aumentam o Sistema Imunológico (ex. GcMAF)
  • Planos de Dieta Especializados & Consultas

Hospital Associado

O tratamento será realizado em um hospital terceirizado reconhecido internacionalmente, e não em um hotel ou uma clínica. Isto é importante para a segurança e cuidado do paciente, já que o paciente terá acesso a todos os departamentos especializados e a todos os médicos especialistas, o que aumentará a eficácia de tratamento.

Os melhores tratamentos com células-tronco disponíveis via tratamentoscelulastronco.com

O que é Distrofia Muscular?

Distrofia muscular (DM) é um grupo de desordens musculares progressivas hereditária, caracterizada por fraqueza muscular, perda de massa e degeneração. Algumas formas de Distrofia Muscular (DM) podem também afetar outros órgãos do corpo tais como o coração, o trato gastrintestinal e o cérebro. Distrofia Muscular (DM) é causada por mutações nos genes que codificam para proteínas musculares específicos.

Distrofia Muscular de Duchenne (DMD) é uma das distrofias musculares mais comuns e letais, que afeta 1 em cada 3500 homens e é causada por mutações no gene da distrofina. A distrofina é um componente crítico do complexo distrofina glicoproteína (DGC), que está envolvida na estabilização de interações entre o sarcolema, o citoesqueleto, e a matriz extracelular dos músculos esquelético e cardíaco. Existem muitos outros tipos de Distrofias Musculares (DMs), incluindo da distrofia muscular de Becker, Distrofia Muscular de Cinturas, Distrofia Muscular Facioscapulohumeral, etc.

Formas nas quais a distrofia muscular afeta o corpo

Pacientes com Distrofia Muscular de Duchenne (DMD) caracteristicamente apresentam fraqueza muscular progressiva, que começa na primeira infância. Apesar de Distrofia Muscular de Duchenne (DMD) estar presente no nascimento, os sintomas clínicos não são evidentes até 3-5 anos de idade.

Os sintomas iniciais incluem fraqueza nas pernas, aumentando a curvatura convexa da coluna vertebral, e um andar com gingado. Contínuas perdas musculares resultam em músculos progressivamente mais fracos, geralmente deixando os pacientes com Distrofia Muscular de Duchenne (DMD) em cadeira de rodas com a idade de 11 ou 12 anos.

Nas últimas fases, a maioria dos pacientes sucumbem a insuficiência cardíaca ou respiratória por volta dos vinte anos, embora os casos raros de sobrevivência para os trinta anos têm sido relatados. Um semelhante, embora mais suave, distrofia conhecida como Distrofia Muscular de Becker (BMD) é fenotipicamente mais variável e geralmente segue um curso menos grave do que Distrofia Muscular de Duchenne (DMD). Outros tipos tem geralmente início adulto e são comparativamente lentamente progressivas.

References

  • Lapidos, Karen A.; Kakkar, Rahul; McNally, Elizabeth M. (2004)

“The Dystrophin Glycoprotein Complex Signaling Strength and Integrity for the Sarcolemma”. Circulation Research. 94 (8): 1023–1031. doi: 10.1161/01.RES.0000126574.61061.25. ISSN 0009-7330. PMID 15117830.

  • Udd, Bjarne (2011).

“Distal muscular dystrophies”. Handbook of Clinical Neurology. 101: 239–62. doi: 10.1016/B978-0-08-045031-5.00016-5. PMID 21496636.

  • Turner, C.; Hilton-Jones, D. (2010).

“The myotonic dystrophies: diagnosis and management”. Journal of Neurology, Neurosurgery & Psychiatry. 81 (4): 358–67. doi: 10.1136/jnnp.2008.158261. PMID 20176601.

  • McAdam, Laura C.; Mayo, Amanda L.; Alman, Benjamin A.; Biggar, W. Douglas (2012).

“The Canadian experience with long term deflazacort treatment in Duchenne muscular dystrophy”. Acta Myologica. 31 (1): 16–20. ISSN 1128-2460. PMC 3440807. PMID 22655512.

  • Verhaert, David; Richards, Kathryn; Rafael-Fortney, Jill A.; Raman, Subha V. (2011).

“Cardiac Involvement in Patients with Muscular Dystrophies: Magnetic Resonance Imaging Phenotype and Genotypic Considerations”. Circulation. Cardiovascular imaging. 4 (1): 67–76. doi: 10.1161/CIRCIMAGING.110.960740. ISSN 1941-9651. PMC 3057042. PMID 21245364.

  • Laing, Nigel G; Davis, Mark R; Bayley, Klair; Fletcher, Sue; Wilton, Steve D (2011).

“Molecular Diagnosis of Duchenne Muscular Dystrophy: Past, Present and Future in Relation to Implementing Therapies”. The Clinical Biochemist Reviews. 32 (3): 129–134. ISSN 0159-8090. PMC 3157948. PMID 21912442.

  • Bushby, Katharine; Finkel, Richard; Birnkrant, David J; Case, Laura (2010).

“Diagnosis and management of Duchenne muscular dystrophy, part 1: diagnosis, and pharmacological and psychosocial management”The Lancet Neurology. 9 (1): 77. doi: 10.1016/s1474-4422(09)70271-6. Retrieved 12 April 2016.

  • Muntoni, F. (28 August 2001).

“Is a muscle biopsy in Duchenne dystrophy really necessary?”. Neurology. 57 (4): 574–575. doi: 10.1212/wnl.57.4.574. ISSN 0028-3878. PMID 11524463.

  • Drug Safety and Availability. 2014

“Duchenne Muscular Dystrophy Statement”. US FDA.

  • MedlinePlus Encyclopedia

Duchenne muscular dystrophy

External Links