Ataxia / Terapia de Células-Tronco

Encontre o melhor Tratamento de Células-Tronco para Ataxia

A Unique Access fornece um extenso protocolo de tratamento para Ataxia que utiliza altas quantidades de células-tronco, fatores de crescimento de células tronco inovadores, extensiva reabilitação e diversas terapias de suporte. Esta combinação eficaz da mais avançada tecnologia médica com medicina funcional têm ajudado nossos pacientes já tratados a alcançar melhorias significativas.

Por que Células Tronco funcionam para Ataxia?

Proporcionar neuroproteção e, possivelmente, promover a regeneração são algumas das razões pelas quais as terapias de células tronco tem sido estudadas recentemente como uma opção para tratar transtornos neurodegenerativos.

Na Ataxia, estudos realizados com animais e humanos demonstraram tanto a segurança quanto a eficácia terapeutica do transplante de células tronco.

Mechanisms

ataxia-gait

Marcha típica de um portador de Ataxia

Há potenciais de diferenciação multi-linhagem e propriedades imuno-moduladores em células-tronco mesenquimais (CTMs), e são teoricamente bons candidatos para o tratamento de SCA. Também tem sido demonstrado que, em condições apropriadas, CTM-CU podem diferenciar-se em neurônios.

Ao estimular as células-tronco residentes, efeitos anti-apoptóticos, efeitos antioxidantes e liberação de fatores neurotróficos, CTMs podem possivelmente proteger os axônios e promover a neurogênese.

Melhorias

ataxia-mri

Ressonância magnética mostrando a melhoria de um paciente tratado com células-tronco.

Pacientes com Ataxia notaram significativas melhorias nos seguintes aspectos:

  • aumento da mobilidade
  • melhor equilíbrio e coordenação
    (melhoras visíveis na escala de Berg (BBS))
  • melhora na motricidade fina e grossa
  • melhora na fala e cognição

Em geral, se observou uma melhor qualidade de vida na maioria dos pacientes da GSC tratados com uma combinação de células tronco mesenquimais derivadas do cordão umbilical humano (CTM-UM) e reabilitação.

Também se observou que a progressão da doença desacelerou significativamente em pacientes com ataxias progressivas.

Nossa Promessa

Acreditamos que sempre há uma esperança real e que os pacientes merecem ter acesso a um tratamento eficaz e seguro. Somos independentes, com um departamento médico interno. Combinamos o serviço de hospitais internacionalmente reconhecidos com tratamentos de última geração, produtos únicos e serviços que são integradores e eficazes para assegurar que o tratamento tenha o melhor resultado possível.

Pamela fala sobre sua estadia no hospital, sua opinião sobre o tratamento com células-tronco e sobre como foi bem cuidada pela equipe clínica.

Células Tronco

Sobre as Células Tronco que utilizamos, garantimos que o paciente receba a célula tronco correta e necessária no que diz respeito a qualidade, quantidade e viabilidade. Nosso parceiro exclusivo de pesquisas garante uma viabilidade celular de 95%, sendo que muitas injeções chegam a supreendente viabilidade de 98%-99%.

Terapias de Apoio & Remédios

Garantimos que o paciente receba os medicamentos, terapias de apoio, reabilitação, desintoxicação e programas de aumento do sistema imunológico necessários para tirar o maior proveiro das células-tronco.

  • Oxigenoterapia hiperbárica (OTH)
  • Acupuntura
  • Terapia Aquática
  • Tratamento de Fisioterapia
  • Terapia Ocupacional
  • Estimulação Magnética Transcraniana (EMT)
  • Tratamento de Oxigenação
  • Gotas de Vitamina por Injeção Intravenosa
  • Suplementos que Aumentam o Sistema Imunológico (ex. GcMAF)
  • Planos de Dieta Especializados & Consultas

Hospital Associado

O tratamento será realizado em um hospital terceirizado reconhecido internacionalmente, e não em um hotel ou uma clínica. Isto é importante para a segurança e cuidado do paciente, já que o paciente terá acesso a todos os departamentos especializados e a todos os médicos especialistas, o que aumentará a eficácia de tratamento.

Os melhores tratamentos com células-tronco disponíveis via tratamentoscelulastronco.com

O que é Ataxia?

A ataxia é caracterizada por uma incapacidade para manter uma postura normal e movimentos estáveis. Ao invés de ser uma doença real, é um sinal e sintoma de uma anomalia do sistema nervoso central. A anormalidade neurológica subjacente, resultando esta condição, pode ser hereditária ou adquirida. Intoxicação por etanol, intoxicação por lítio, medicamentos anti-epilépticos, tumores cerebrais, derrame e cerebelite estão entre as causas adquiridas comuns.

Ataxias hereditárias são um grupo de doenças neurodegenerativas caracterizadas pela atrofia degenerativa do cerebelo, tronco cerebral e /ou da medula espinal. Ataxia espinocerebelar (SCA) e Ataxia de Friedreich (FRDA) são as formas mais comuns. Antecipação genética ocorre geralmente em famílias de pacientes, com sintomas e sinais cada vez mais graves a cada geração sucessiva.

References

  • Schmahmann JD (2004).

“Disorders of the cerebellum: ataxia, dysmetria of thought, and the cerebellar cognitive affective syndrome”. J Neuropsychiatry Clin Neurosci. 16 (3): 367–78. doi: 10.1176/appi.neuropsych.16.3.367. PMID 15377747.

  • Bastian AJ, Zackowski KM, Thach WT (May 2000).

“Cerebellar ataxia: torque deficiency or torque mismatch between joints?”. J. Neurophysiol. 83 (5): 3019–30. PMID  10805697.

  • van de Warrenburg BP, Steijns JA, Munneke M, Kremer BP, Bloem BR (April 2005).

“Falls in degenerative cerebellar ataxias”. Mov. Disord. 20 (4): 497–500. doi: 10.1002/mds.20375. PMID 15645525.

  • Díez S (2009).

“Human health effects of methylmercury exposure”. Rev Environ Contam Toxicol. Reviews of Environmental Contamination and Toxicology. 198: 111–32. doi: 10.1007/978-0-387-09647-6_3. ISBN 978-0-387-09646-9.  PMID 19253038.

  • Spinazzi M, Angelini C, Patrini C (May 2010).

“Subacute sensory ataxia and optic neuropathy with thiamine deficiency”. Nature Reviews Neurology. 6 (5): 288–93. doi: 10.1038/nrneurol.2010.16. PMID 20308997.

  • Jarius S, Wildemann B (2015).

“‘Medusa-head ataxia’: the expanding spectrum of Purkinje cell antibodies in autoimmune cerebellar ataxia. Part 1: Anti-mGluR1, anti-Homer-3, anti-Sj/ITPR1 and anti-CARP VIII”. Journal of Neuroinflammation. 12 (1): 166. doi: 10.1186/s12974-015-0356-y. PMID 26377085.

  • Hadjivassiliou M, Sanders DS, Woodroofe N, Williamson C, Grünewald RA (2008).

“Gluten ataxia”. Cerebellum. 7 (3): 494–8. doi: 10.1007/s12311-008-0052-x. PMID 18787912.

  • Forrest MD, Wall MJ, Press DA, Feng J (December 2012).

“The Sodium-Potassium Pump Controls the Intrinsic Firing of the Cerebellar Purkinje Neuron”. PLoS ONE. 7 (12): e51169.  doi: 10.1371/journal.pone.0051169. PMC 3527461. PMID 23284664.

  • Calderon DP, Fremont R, Kraenzlin F, Khodakhah K (March 2011).

“The neural substrates of rapid-onset Dystonia-Parkinsonism”. Nature Neuroscience. 14 (3): 357–65.  doi: 10.1038/nn.2753. PMC 3430603. PMID 21297628.